Home Patrimónios Museu do Canadá confirma que foi um português a descobrir a América

Museu do Canadá confirma que foi um português a descobrir a América

O Real Canadian Portuguese Historical Museum confirma que foi um português a descobrir a América do Norte, 19 anos antes da chegada de Cristovão Colombo!

46611
14

O Real Canadian Portuguese Historical Museum confirma que foi um português a descobrir a América do Norte, 19 anos antes da chegada de Cristovão Colombo!

Quem o diz é o Real Canadian Portuguese Historical Museum em Toronto, no Canadá. A instituição pretende reconhecer a presença portuguesa na América do Norte 19 anos antes da chegada de Cristovão Colombo.

“Sempre houve vestígios de que o navegador português João Vaz Corte-Real esteve no Canadá em 1472, dezenove anos antes da chegada de Cristovão Colombo à América do Norte”, afirmou Suzy Soares, a presidente do Real Canadian Portuguese Historical Museum (RCPHM, sigla em inglês).

Real Canadian Portuguese Historical Museum - Museu do Canadá confirma que foi um português a descobrir a América
Real Canadian Portuguese Historical Museum – Museu do Canadá confirma que foi um português a descobrir a América

Alguns historiadores canadianos continuam, nos dias de hoje, a ter algumas dúvidas de que o antigo capitão-donatário de Angra (Açores) tenha estado onde hoje se localiza o Canadá, antes de 1492, mas em Portugal, para muitos estudiosos “é um dado adquirido”, juntando agora os vários pontos de vista e provar de que João Vaz Corte-Real “passou realmente pelo Canadá antes de Colombo”.

Museu do Canadá confirma que foi um português a descobrir a América
Real Canadian Portuguese Historical Museum – Museu do Canadá confirma que foi um português a descobrir a América

“Todos sabem da existência da Pedra de Dighton, localizada em Berkley, Massachusetts (Estados Unidos), e que tem palavras escritas que só podem ser em português. No entanto a história é muito complexa, pois há sempre várias versões dos acontecimentos”, sublinhou.

Suzy Soares estabelece como objetivo do museu ir à procura de mais provas e “reconhecer a descoberta da América” pelo navegador português João Vaz Corte-Real.

Museu do Canadá confirma que foi um português a descobrir a América
Real Canadian Portuguese Historical Museum – Museu do Canadá confirma que foi um português a descobrir a América

O Real Canadian Portuguese Historical Museum está a comemorar o 32.º aniversário, e no dia 5 de março, pelas 18:30 (23:30 de Lisboa) vai homenagear ‘João Vaz Corte-Real’ durante um jantar de gala.

No evento estará em exposição uma réplica de uma caravela com três metros de comprimento, utilizada pelo navegador na viagem até ao Canadá, e será apresentado ainda um busto de Corte-Real.

Museu do Canadá confirma que foi um português a descobrir a América
Nau Portuguesa – Museu do Canadá confirma que foi um português a descobrir a América

O primeiro-tenente Nuno Gonçalves da Marinha Portuguesa, chefe de investigação do departamento do Museologia, vai abordar a presença portuguesa no Canadá. Já o realizador Rui Bela apresenta o documentário ‘Memórias do Mar’.

O evento terá também o objetivo de “angariar apoio financeiro para dar continuidade ao trabalho do museu”, que tem dado destaque à presença portuguesa na história do país.

Museu do Canadá confirma que foi um português a descobrir a América
Viagem de João Corte Real – Museu do Canadá confirma que foi um português a descobrir a América

A denominação da região e mar do Labrador no Canadá, é em homenagem ao navegador português João Fernandes Lavrador que em 1498, juntamente com Pedro Barcelos, explorou aquela região.

Mathieu da Costa, provavelmente de pai português e mãe africana, foi o primeiro afrodescendente de que há registo no Canadá (1600) e o português Pedro da Silva, foi o primeiro carteiro no Canadá (1673).

Museu do Canadá confirma que foi um português a descobrir a América
Caravela – Museu do Canadá confirma que foi um português a descobrir a América

Joe Silvey (1853) um pioneiro na colonização da costa oeste do Canadá, um exemplo de miscigenação, porque tomou duas índias como esposas, é outra das referências portuguesas em terras do Canadá.

Calcula-se que existam no Canadá cerca de 550 mil portugueses e luso descendentes, estando a grande maioria localizada na província do Ontário.

14 COMMENTS

  1. É muito importante a História ser decodificada, esclarecida e corretamente registrada. Parabéns pela narrativa.

  2. Ja a muito que se fala desta Historia,e de os Poetugueses chegarem ao Canada ,primeiro,parabens gostei da narrativa.

  3. É essencial conhecer que 500 anos antes de Cristóvão Colombo os Vikings já tinham chegado à América !

    • É essencial perceber que o Continente Americano era ocupado por humanos há milhares de anos. De entre os europeus os Vikings foram os únicos que não deixaram legado, por falta de capacidade para regressar e reportar o achado.

  4. E os Teive, que descobriram as Flores e o Corvo em 1452 ao regressar da Terra Nova. Fico confuso…

  5. Que Cristóvão Colombo era português não há dúvida nenhuma. Era filho, de um filho bastardo de D. João I que casou com a filha do descobridor da Madeira, nasceu em Cuba do alentejo, tendo sido provado por vários historiadores, que sabem da casa e que o próprio povo de Cuba é testemunha.

  6. Descoberta? A América já estava habitada da quando os europeus chegaram, sejam vikings, espanhóis ou portugueses. Chegaram, sim, descobrir não por respeito aos aborigens nativos.

  7. É bom que se esclareça a história. Mas se nao foram os portugueses Corte Real, foi o português Cristóvão Cólon. Até porque Cristóvão cólon, ja la tinha estado no canada numa expedição anterior à oficialmente conhecida, tal como aconteceu com a descoberta oficial do Brasil, o Duarte Pacheco Pereira já la tinga estado um anos antes e S.joao II ja era conhecedor daquelas terras.

  8. Columbo nunca descobriu a América só chegou ás ilhas bermudas. Isso seria o mesmo que dizer que se alguém descobrui-se os Açores tinha descoberto a Europa. Porque os EUA têm que dar tanta importância a isso. Eles são Ingleses não espanhóis.
    Corte Real descobriu que não tem nada aqui, só perus. Além disso a igreja não ia aprovar estava para além da linha do acordo.

  9. Pelo menos desde 1933 que na calçada da Av. da Liberdade , em Lisboa, que está escrita a data da chegada de João Côrte Real ao Canada e o seu nome como descobridor da América. Já agora o nome Canada se o lermos com a acentuação portuguesa, em que a silaba tónica é a penúltima e não a última com em francês, temos a palavra portuguesa canada, um curo de água ladeado por canas. É um nome que se repete um pouco por todo o território português, por exemplo Canada do Inferno em Foz Côa. Segundo alguns autores os Côrte Real , Capitães dos Açores eram originários de um lugar chamado Canada no Algarve…está bom de ver que o nome é português e que os franceses o pronunciavam à francesa acentuando a última sílaba. E se Labrador é também português, do navegador João Fernandes, conhecido como o lavrador, Terra Nova na mesma região foi também nome dado pelos portugueses de seu nome completo, Terra Nova dos Bacalhaus.Ficam as dicas para quem se interessar por estas coisas.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.