Home Patrimónios Porque razão chamam alfacinhas aos habitantes de Lisboa?

Porque razão chamam alfacinhas aos habitantes de Lisboa?

São várias as teorias e todas elas muito diferentes mas igualmente curiosas. Mas afinal porque razão chamam alfacinhas aos habitantes de Lisboa?

2770
0

Alfacinha é uma designação popular de etimologia incerta para designar os naturais de Lisboa. Sua primeira referência clara surgiu em meado do século XIX, na obra “Viagens na Minha Terra”, de Almeida Garrett (1846): “Pois ficareis alfacinhas para sempre, cuidando que todas as praças deste mundo são como a do Terreiro do Paço”. Não há certeza sobre a origem do termo, mas há diversas versões que buscam explicá-la.

lisboa
Lisboa (Risa Nishino)

De acordo com o Gabinete de Estudos Olisiponenses, no ano de 1943 Fernanda Reis publicou um artigo no Boletim do Grupo Amigos de Lisboa intitulado Alfacinhas, contando que andou pela capital portuguesa a perguntar a razão do nome. “Explicaram-me que tal soubriquet (apelido) viera aos da capital por serem muito amigos de alfaces e por as comerem exageradamente”, escreveu ela. Outra razão apontada é que os lisboetas, tal qual as hortaliças, não se movimentavam muito: “talvez se possa avaliar qualquer coisa de suas antepassadas que viviam como aves de estimação fechadas em casas-gaiola e só usavam de uma liberdade muito reduzida para ir à Igreja, para cumprir o dever de uma visita ou ainda para figurar na romaria devota de uma procissão”.

lisboa
Lisboa (Nico Glubert)

Outra explicação é apontada pela revista LX Metrópole, de maio de 2002, que especula que o motivo da designação é o gosto dos portugueses por “ir às hortas (…) em busca de  frescura, da sombra das árvores e do folguedo” Segundo uma explicação trazida na coluna “O Poço da Cidade”, num jornal de 1984, o termo advém do facto de na região da cidade de Lisboa a alface ser uma planta abundante, e dada a origem árabe da palavra, ter sido cultivada em larga escala durante o período muçulmano. Esta abundância de alfaces está também ligada a outra explicação apontada pela mesma coluna, que atribui a origem do termo ao facto de esta ter sido o único alimento disponível aos habitantes durante um prolongado cerco.

Lisboa

Uma das linhas de discussão remete a ocupação de Lisboa pelos Mouros entre 711 e 714. Após a ocupação os árabes teriam começado a cultivar o Al-Hassa, que acabou se transformando em Alface na língua portuguesa. A planta era adoptada na época para diversos fins, entre eles culinários e medicinais. Em uma das várias guerras que viriam a acontecer durante a permanência dos árabes, reza a lenda que os moradores teriam apenas alface para comer, o que teria originado a denominação.

Lisboa
Lisboa

Há quem defenda que uma tribo do Sahara, os saharauii, se instalaram nos arredores de Lisboa e Sintra, e daí terá derivado o termo saloio, designando quem estava fora de portas da cidade e ao mesmo tempo abastecia a cidade com produtos hortícolas, como a alface. Foram os saloios quem supostamente baptizou os lisboetas domingueiros do século XIX de alfacinhas, por estes se passearem pelos limites da cidade com laços farfalhudos da moda, no peito das camisas.

lisboa
Bica, Lisboa

Esses laços terão lembrado aos saloios alfaces. Outra das teorias conta que, durante o cerco a Lisboa, os lisboetas eram alimentadas sobretudo por alfaces trazidas nas suas carroças pelos saloios do vale de Loures. As sopeiras, meninas da província que serviam os mais abastados, gritavam chegaram as alfacinhas, popularizando o termo entre entre os saloios de Loures, que rapidamente começaram a tratar os Lisboetas por Alfacinhas.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.