Home Patrimónios Évora de todos os regressos!

Évora de todos os regressos!

Ás vezes apetece escolher a centralidade de Évora como ponto de partida para substanciais incursões às terras do Alentejo. Mas, quase sempre, são história, monumentalidade e gastronomia que atraem!

577
0
Evora_Capa

Descobrir, visitar ou regressar a Évora é sempre uma urgência e um imperativo! Com razões… ou mesmo sem razões nenhumas: apenas ao sabor dos apetites!
Pode esbarrar com ela num dos caminhos de Lisboa para o Algarve ou da capital portuguesa para a estremadura espanhola.

Mas é mais normal que lhe apeteça escolher a sua centralidade como ponto de partida para substanciais incursões às terras do Alentejo, com aldeias e cidades para desvendar e percorrer. Ou poderá ir até lá só pela sua história, monumentalidade e gastronomia. Ou, quem sabe, ser “apenas” atraído por formas calorosas de acolhimento.

Praça do Giraldo, Évora
Praça do Giraldo | Fotografia: Soares da Silva Photography | Clicar para ver a imagem original

De uma forma ou de outra, não é destino de passagem ou de “visita de médico”. Se fosse a si, eu optava por passar lá com tempo e vagares de Alentejo. E ficava uns dias, para saborear à vontade…

À Descoberta do Património Mundial

Évora foi considerada património mundial pela Unesco em 1986. Uma cidade-museu cujas raízes datam dos tempos dos romanos. Viveu a sua época dourada no século XVI, quando foi residência de reis portugueses.

Quem a olha deixa-se conquistar pelos seus pormenores de arquitetura, pelo branco das casas, azulejos e varandas. A cidade que prosperou aquando da destruição de Lisboa no terramoto de 1755 e que inspirou a construção  de algumas cidades portuguesas no Brasil, como Salvador da Bahia.

Évora - Teatro Romano
Teatro Romano | Fotografia: Pedro Padilha | Clicar para ver a imagem original

Das suas marcas dominante e distintivas, a Unesco refere a muralha, o Aqueduto da Água de Prata, os edifícios medievais, a catedral, os conventos, os palácios, as igrejas, as praças. Tudo razões de peso para visitar Évora.

Vai ter de ir até lá para ver e sentir com os seus próprios olhos. Percorra-lhe as ruas e descubra as histórias da cidade.

Lugares como o Colégio do Espírito Santo (Universidade de Évora) ou a Rota do Fresco que nos leva a conhecer o período barroco em Évora são, só por si, convites irrecusáveis.

Évora
Évora é, toda ela, um saboroso passeio pelo Património! | Fotografia: José Carlos Igreja | Clicar para ver a imagem original

Mas, cada vez mais, museus e outros pontos de interesse a nível cultural têm nascido em Évora. Edifícios como o bonito Teatro Garcia de Resende recebem eventos de teatro, marionetas, gravuras, curtas-metragens… O Conservatório Regional de Évora, Eborae Música, organiza frequentemente espetáculos de música clássica.

O Museu de Évora expõe permanentemente uma colecção de arqueologia, arte e o espólio dos conventos de Évora, para além de apresentar também exposições temporários sobre diversos temas.

Évora Museu
Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo | Fotografia: Joaquim Luiz Silva | Clicar para ver imagem original

O Centro de Arte e Cultura Eugénio de Almeida, da Fundação Eugénio de Almeida, está ao nível de muitos espaços semelhantes em grandes cidades europeias. Bom gosto das exposições temporárias aliado à arquitetura e passado forte do edifício usado como Palácio da Inquisição.

Quem encontra na cultura um motivo para visitar Évora, que não deixe de conhecer o Museu de Arte Sacra da Sé de Évora, o Centro de Artes Tradicionais (antigo Museu do Artesanato), o Museu de Carruagens e outros pequenos espaços fáceis de encontrar e conhecer. Para se apaixonar ainda mais pelo Alentejo.

Nas Perdições da Gastronomia…

Comer e beber bem devem estar no topo das prioridades de quem visitar Évora. A gastronomia do Alentejo é das mais ricas de Portugal e digna representante da dieta mediterrânea.

Em Évora e arredores é fácil encontrar restaurantes para provar pitéus acompanhados pelos excelentes vinhos da região. São muitas as delícias da gastronomia alentejana, temperados com os condimentos do Alentejo (coentros, hortelã, poejos, orégãos, azeite, alho, cebola, louro, etc,).

Antepastos como queijos curados, enchidos, azeitonas e presunto. E sopas de estalo… toucinho, cação, beldroegas e tomate, as mais marcantes.

Nos pratos principais, a dificuldade está na escolha. E o coração balança entre petiscos e tentações: ensopado de borrego, cabeça de xara, pezinhos de porco de coentrada, açorda à alentejana, gaspacho à alentejana, migas com carne de porco, sargalheta, pratos de caça. E Muitos mais!

E terá de haver parcimónia para conservar uns espacinhos para a fruição dos doces. Porque as sobremesas sáo indispensáveis e imperdíveis: trouxas de ovos, pão de ló, queijadas de Évora, filhós enroladas, queijadas de requeijão, bolo de mel, queijinhos do céu de Mora, pastéis de toucinho de Arraiolos, pão de rala, sericaia e outros doces de ovos, amêndoa e chila, etc. etc. etc.

Não se esqueça de provar o pão alentejano, denso e saboroso, à refeição ou numa sandes a meio do dia. Nas pastelarias e cafés, escolha um ou dois bolos da riquíssima pastelaria portuguesa e/ou uma empada de galinha.

Um Alentejo de beber!

Claro está que tudo aquilo que lhe dissemos que havia para comer, não pode (não deve) ser saboreado sem as devidas honras aos vinhos do Alentejo.

E são tantos os néctares das planícies do sul que não vai resistir à prova e fruição dos VQPRD (Vinho de Qualidade Produzido em Região Demarcada) oriúndos das sub-regiões vitivinícolas do Alentejo.

Vinha Monsaraz
Vinha com Monsaraz ao fundo! | De: Bruno Martins Photography | Clicar para ver a imagem original

Começe a preparar-se para a aventura da Rota dos Vinhos do Alentejo. E aceite o convite para viajar castas e paisagenses alentejanas.

Viajar a um passado longínquo.

Desde a pré-história que os homens se têm vindo a fixar na região de Évora devido às suas características naturais. Por isso, mais uma razão para visitar Évora é o seu passado longínquo, que faz dela a Capital do Magalitismo Ibérico.

Lugares como a Anta Grande do Zambujeiro, o Cromeleque dos Almendres e o Menir dos Almendres são apenas alguns dos vestígios pré-históricos bem perto da cidade que fazem parte do Circuito Megalítico de Évora, mais um dos pontos de interesse em Évora. Para os complementar, não deixe de visitar o centro interpretativo Megalithica Ebora, no Convento dos Remédios, onde poderá ficar a conhecer duas épocas essenciais para a formação da cidade, o período megalítico e o período romano.

Cromeleque dos Almendres | Autor: Joaquim Luiz Silva | Clicar para ver a Imagem Original

A calma e a serenidade de todos os passeios.

Évora e todo o Alentejo convidam quem busca tranquilidade e desafiam a uma visita demorada e sem preocupações… Visitar Évora e o seu centro histórico sem pressas é uma experiência única. Sozinho, em família ou num passeio romântico.

Évora Aqueduto
Aqueduto Água de Prata | Fotografia: Fernando Costa | Clicar para ver a imagem original

Apetece percorrer ruas e ruelas de máquina fotográfica, de mão dada ou com o olhar descontraído das crianças. O ritmo, já se sabe, é alentejano: Devagar, devagarinho… Com paragens frequentes em esplanadas ou bancos de rua para ver o tempo a passar.

Pelo menos até ao pôr do sol. Porque Évora é uma cidade universitária. Durante os meses frios, bares e discotecas cheios de energia recebem as festas dos estudantes ao longo dos dias de semana. Mas ao fim de semana, a animação continua…!

Évora Sé
No alto da Sé, com olhos para a cidade e planície à volta… | Fotografia: José Caeiros‎ | Clicar para ver a imagem original

No Verão, mesmo à noite, o calor faz-se sentir. Não há como fugir, e lá vai ter de refrescar corpo e garganta numa das muitas esplanadas espalhadas pelo centro histórico de Évora. Para, noite adentro, experimentar os bares e wine bares da cidade.

• E voar sobre torres e telhados?
Venha daí, passear os céus de Évora!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.